Cinco dicas para quem quer praticar Stand Up Paddle

Basta uma prancha e um remo para praticar o stand up paddle, esporte da moda nas praias brasileiras. Simples assim! O mar calmo ajuda e muito o atleta, que tem a oportunidade de se exercitar e curtir o dia em contato com a natureza, exercitando igualmente membros inferiores e superiores. A modalidade existe desde os anos 40. Nascido no Havaí, o stand up paddle (SUP) surgiu por acaso, quando instrutores de surf acompanhavam seus alunos durante as aulas remando em pé em uma prancha.

Apesar de ainda ser relativamente novo no Brasil, o SUP já conta com campeonatos espalhados por todo o país, organizados pela Associação Brasileira de Stand Up Paddle (ABSUP). Há duas modalidades oficiais de SUP: a do surf, que consiste em descer as ondas em pé na prancha com o auxílio de um remo e a SUP remada, na qual o praticante rema em lagoas, rios e mares de águas calmas em distâncias livres. Uma nova modalidade vem ganhando novos adeptos, a SUP Yoga. Se você tem interesse pelo esporte, mas não sabe como começar, apresentamos cinco dicas imperdíveis.

Escolha o equipamento ideal

Qual o seu nível de conhecimento sobre o esporte? Mesmo que já seja praticante do surf e nunca tenha praticado SUP, seu nível é iniciante. Ter uma aula inicial ajuda a descobrir o melhor equipamento para a modalidade escolhida. Um remo muito grande pode diminuir sua agilidade nas manobras. Pranchas grandes e com pontas largas costumam ser mais estáveis, dependendo da largura. As do tipo híbridas servem para remar longas distâncias, mais indicadas para quem está começando. Leve em conta seu tamanho e peso. O remo precisa ter o tamanho certo, geralmente com 15 centímetros a mais do que a altura da cabeça do praticante. Para quem quer ter remadas longas, o comprimento ideal passa a ser o de 25 centímetros mais alto do que a altura da cabeça.

Não abra mão dos equipamentos de segurança

Preste muita atenção, pois como em qualquer esporte, há riscos de acidentes. Por isso, não abra mão do uso do leash (corda que prende a prancha ao pé do praticante), que impede que a prancha volte e bata em banhistas, bem como o colete salva-vidas.

Atente-se à postura

A sensação do “chão” se movendo pode parecer bem estranha no início, mas logo a relação entre homem e prancha se harmoniza. Para tanto, é preciso se atentar à postura, pois o centro de gravidade do praticante fica responsável pelo equilíbrio. Os pés devem estar alinhados paralelamente e afastados na largura dos ombros. Os joelhos devem estar levemente flexionados e o tronco precisa permanecer ereto. Olhar para o horizonte facilita o equilíbrio.

Tenha aulas para praticar

Treinando, o aprendizado é mais rápido e seguro, sempre com o auxílio de um instrutor. Até técnicas de queda são passadas durante as aulas. Nunca reme sem companhia por questões de segurança e alongue-se sempre antes de iniciar.

Busque um local conhecido para a prática

Lagos e rios tendem a ter fundos irregulares. Para quem está iniciando, o recomendado é que pratique em piscinas, açudes ou locais com profundidade conhecida e sem correntes.

Com a proximidade do verão, os locais para a prática de SUP ficam lotados. Verifique a disponibilidade, a previsão do tempo e não se esqueça de passar protetor solar. Levar água para beber numa mochila também é recomendado. E, por fim, certifique-se de se atentar às nossas dicas.

E você já praticou SUP? Tem vontade? Conte pra gente!

5 destinos alternativos para conhecer na Europa

image

Todos podemos perceber que nos últimos anos os brasileiros têm cada vez mais cruzado o oceano e viajado a turismo em direção ao velho mundo, mais conhecido como Europa! É natural também que nas primeiras viagens para esse destino nós procuremos dar prioridade para as famosas capitais dos principais países da Europa Central, tão badaladas e tão divulgadas pelas pessoas e pelos guias de viagem. Entretanto, depois de conhecer esses destinos já tão visitados, fica um gostinho de “quero mais” e a percepção de que tais países não se restringem às suas capitais, e de que a Europa é muito mais do que o seu centro. Para além dos destinos mais conhecidos existe ainda muita história, muita cultura e muita beleza para ser experimentada. Nesse texto apresentaremos alguns destinos alternativos para conhecer na Europa, lugares que não são prioridade para os viajantes estreantes, mas que podem ser tão ou mais encantadores que os destinos já “manjados” pelo turista comum. Vem com a gente!

Karlovac (Croácia)

Começamos com um país do leste europeu para, justamente, mostrar que a Europa é mais do que França, Alemanha, Inglaterra e Espanha e outros países do centro. O leste da Europa também é um destino belíssimo, repleto de história e paisagens naturais surpreendentes. Karlovac é uma cidade renascentista no centro da Croácia, construída em forma de uma estrela de seis pontas e possui muitas atrações para conhecer, como seu centro histórico, as colinas de Velika Kapela, o castelo de Dubovac, a praia Zrce e o parque Plitvive Lakes, conhecido por suas belas cascatas e lagos. O prato típico do local é o borrego com batatas no forno, e dizem que é imperdível. Além disso, recomenda-se o queijo skripavac e os frutos silvestres, como os mirtilos e as framboesas.

Granada (Espanha)

Esta cidade mágica da região da Andaluzia, na Espanha, foi a que recebeu mais influência árabe de toda a Europa, e parece que faz parte parte dos contos das “Mil e uma noites”. A parte antiga da cidade, chamada de bairro Albaicín, parece um labirinto de pequenas ruelas, bem típico das medinas das cidades árabes, e possui todo um comércio típico, de peças trazidas do Marrocos. Próximo a ele, há o Sacromonte, conhecido por ser o bairro dos ciganos, com moradias incrustadas nas montanhas, como cavernas. Aí acontecem as principais apresentações de Flamenco e outras festividades ciganas. O principal monumento de Granada é a Alhambra, uma cidade palaciana moura, datada do século IX. A mistura entre ocidente e oriente que Granada apresenta é, certamente, o que torna essa cidade uma das mais mágicas da Europa.

Slapton (Reino Unido)

Esta cidade praiana da costa sudeste da Inglaterra é um destino alternativo à badalação de Londres, preferido por quem busca sossego. A poucos metros da praia repleta de pedrinhas, há dois lagos de água, e uma comunidade de casas feitas de pedra. Slapton faz parte de uma reserva natural e é bastante preservada. Sua paisagem é exuberante e convida a várias caminhadas por suas trilhas que não impõem nenhuma dificuldade.

Óbidos (Portugal)

Óbidos é um adorável vilarejo medieval que fica a 80 Km de Lisboa, repleta de chão de pedra, flores na janela, casas caiadas e que remete bastante às cidades coloniais de Minas Gerais, como Tiradentes, Ouro Preto e Diamantina. Com a grande diferença de que o vilarejo abriga um castelo medieval do século XIII, de quando o Brasil nem sonhava em ser descoberto pelos Europeus! Nesse castelo funciona uma pousada, onde é possível se hospedar e sentir-se um verdadeiro membro da realeza. Não deixe de experimentar a “ginginha”, bebida feita de cereja e servida em um copinho de chocolate!

Heraclião (Grécia)

A Grécia é um país pouco procurado pelos brasileiros e, portanto, é para nós um destino alternativo na Europa. Heraclião é a capital da ilha de Creta, repleta de belezas arqueológicas milenares, como o Palácio de Knossos, e com belíssimas praias. No verão é um local repleto de turistas, mas fora de temporada chega a ser bem mais tranquilo do que Atenas. Lembre-se que a Grécia está muito próxima da Turquia e traz para o Ocidente muitos de seus mistérios orientais!

E então, qual vai ser o primeiro destino alternativo a ser visitado por você? Algum deles chamou muito sua atenção e já está na lista de sua próxima viagem? Conte pra gente!

5 dicas para quem quer esquiar

A paisagem nevada, altos picos e o ar de sofisticação que circunda os destinos mais gelados faz a cabeça de muita gente. Desde os que nunca foram, até os mais habituados. Isso por que destinos como estes revelam diversas atrações para os mais variados públicos. E diz aí se você nunca teve vontade de esquiar? É uma das atrações mais procuradas em ambientes deste estilo, isso porque é um esporte sofisticado, desafiador e que enche de adrenalina os seus praticantes.

Se você é daqueles que sempre sonhou em esquiar, busque um destino de acordo com o seu gosto e bolso, pesquise as épocas adequadas para a prática do esporte e principalmente, confira as nossas cinco dicas para não entrar numa fria!

Pegue umas aulas

Para você que está iniciando é bacana pegar uma ou duas horinhas de aula para se familiarizar com os equipamentos, as roupas e a posição do corpo para não se machucar e nem cair com facilidade. Ao visitar algum lugar propício para esquiar, procure algum instrutor autorizado para iniciar a prática. É um investimento que vale a pena pra quem está começando.

Use roupas adequadas para a prática

Utilizar roupas adequadas é fundamental para não congelar com as baixas temperaturas. Porém, apesar disso, elas não podem limitar os movimentos para você praticar o esporte. É ideal que as roupas possuam proteção térmica e também que sejam impermeáveis. Mas não se preocupe. Você não vai precisar comprar isso tudo! A maioria das estações de esqui alugam as roupas e todos os equipamentos necessários para a sua segurança.

Treine a postura e se acostume com os equipamentos

Antes de sair esquiando por aí depois de ter feito as aulas, acostume-se com os trajes, com a postura e especialmente com as botas de esqui. Tente iniciar andando com as botas de esqui pela neve apenas para ir adequando os passos com a postura e as roupas do esporte. Talvez sejam muitos detalhes para se prestar atenção, mas você logo tira de letra!

Cuide da pele

Protetor solar, protetor labial, óculos escuros e creme para a pele são cuidados fundamentais que você precisa ter com a sua pele e olhos. Afinal, a neve reflete raios solares fortíssimos que podem queimar você. Além do mais, fortes ventanias podem ressecar bastante a pele, por isso, se hidrate bastante, em todos os sentidos. Inclusive, não se esqueça de beber água durante a prática do esporte, ok?

Cuidados pós esporte

Lembre-se que você pode cair inúmeras vezes se estiver começando. Então, não se esqueça de um remédio para dor muscular e pomadas de ação local para passar quando bater aquela dorzinha ou ficar roxo no local. Cuide-se após esquiar para aproveitar ainda mais a sua viagem.

Esquiar é maravilhoso! Você precisa seguir essas e algumas outras dicas para aproveitar ao máximo este esporte gelado! Sempre vá em busca de pessoas mais experientes em esquiar e converse bastante com elas para tirar mais dúvidas e aprender um pouquinho mais sobre essa diversão.

E você já esquiou alguma vez? Tem vontade? Conte pra gente!

Sinhá Jô a contadora de sonhos

Sinhá Jô ficou conhecida por aquelas bandas como a moça das adivinhações. Desde nova, sempre foi dada a datar a morte dos que se aventuravam a procurá-la. E não é que a danada acertava? 4 anos, 2 meses, 3 semanas e 2 dias. E o cabra passava mesmo dessa para melhor! Gente desse mundão de Deus todo ia se consultar com a sinházinha, só para datar o grande dia! 

E eu que observava aquilo tudo, ficava era curioso de ver aquele sujeito que atravessava meio mundo para saber quando ia espichar as canelas. Engraçado era o que acontecia com aqueles que recebiam o fatídico veredito. Saíam por aí a largar casamento morno, viajar para o fim do mundo, dizer te amo para quem não devia, largar emprego com promoção e tudo. Teve até um que resolveu que o negócio dele era não partir desse mundo sem provar todas as cervejas que tinham por aí. Sorte que o danado ainda tinha um tempo! Outro ainda fez uma carta para cada pessoa que conheceu, desde o português da padaria a baiana da feira hippie. Haja punho! 
Depois de um tempo vendo aquele povo todo, comecei a ficar foi triste. Porque diacho precisavam de data de morte para querer realizar seus sonhos? Me parece até que a verdade é que achavam que os sonhos deles eram esquisitos por demais para sair contando por aí, quiçá para realizar! Sonho bom mesmo é passar no vestibular, fazer família, ganhar fortuna, viajar o mundo até (desde que não atrapalhe carreira). Sonho ensinado de pai para filho, geração por geração, com uma mudançazinha aqui, outra acolá, mas nada de querer chutar a porta do mundo dos sonhos. E eu que achava que lá nem porta tinha! 
Que coisa triste é não poder sonhar, mentir para si mesmo até chegar o dia em que sonho é o que resta. Sonho não pode ser o que resta, tem de ser o que move, o que excita, o que a gente é dentro da gente mesmo.
Foi aí que Sinhá também se cansou. Não havia gente desse mundo que convencia a moça a datar morte de ninguém,pois se deu agora a datar vida. Sinhá Jô virou contadora de sonhos. Passou a contar para esse povo todo tudo que já ouviu gente prometer fazer depois que ficou a saber seu grande dia. E de sonho em sonho, causo em causo, Sinhá Jô ensinou quem quer que fosse a sonhar. Tem coisa mais bonita que realizar seu próprio sonho?
Por Marcelle Xavier - Instagram: @chegaiuai

6 dicas para quem quer aprender a cozinhar

image

Certamente você já ouviu expressões do tipo “quem sabe cozinhar atrai muitas pessoas ao seu redor” ou “fulano foi conquistado pelo estômago”. A arte de produzir maravilhas na cozinha é cobiçada porque realmente a culinária tem forte poder agregador.

Quantas vezes nós nos referimos, com saudade, aos pratos preparados por nossas avós e mães, antes mesmo de nos lembrarmos de suas outras qualidades fora da cozinha?

Habilidade nata em uns e desejada por outros, a culinária é cercada por mistérios. Mas na verdade, a prática que é um dos maiores hobbies da atualidade, não requer nada além de dedicação para ser executada com êxito.

O artigo de hoje foi feito para você, que assim como muitos, querem se aventurar no mundo das panelas, mas não sabe por onde começar. Aqui você não vai encontrar receitas, mas dicas valiosas para que você possa criar pratos saborosos em breve. Confira!

Comece pelo básico

Essa dica é muito importante porque muitas pessoas ficam ansiosas para começar a cozinhar e optam por pratos elaborados demais para um iniciante. Sugerimos que seu primeiro contato com a cozinha se dê de forma leve.

A ideia aqui é que você aprenda conceitos básicos como mensurar as quantidades de cada ingrediente, entender o equilíbrio de cada prato e tempo de cozimento.

Aprenda a fazer um macarrão al dente, um arroz soltinho, um feijão bem cremoso e temperadinho. Um bolo também cai muito bem nessa etapa. Aos poucos, você vai sentir confiança para buscar voos mais altos!

Invista em ferramentas de qualidade

Assim como você usa computador e outros equipamentos no seu trabalho ou estudo, os utensílios serão suas ferramentas na cozinha. No começo, não é necessário investir em produtos muito caros, mas é fundamental que você adquira ao menos os utensílios básicos de qualidade, como boas panelas e facas para carnes, por exemplo.

O que você gosta de cozinhar?

Responder essa pergunta é muito importante para que você consiga direcionar seus esforços culinários. Não adianta aprender os mais refinados cortes de carne se você é vegetariano, por exemplo.

Por isso, é fundamental que você eleja as suas categorias favoritas como massas, carnes, doces finos entre outros. Essa dica não vai limitar seu conhecimento, ao contrário, vai te ajudar a canalizar e concentrar seu trabalho nesse começo na cozinha.

Descubra novos cheiros, novos gostos

Se a culinária é uma arte, temperos e condimentos certamente são os efeitos especiais. Por trás de cada prato bem-sucedido existe uma combinação perfeita de aromas. Por isso, investigue esses produtos a fundo, estude suas composições e os efeitos que causam ao nosso organismo. Saiba qual sensação cada elemento causará ao degustador, sozinho ou associado a outros. Essa dica é de chef!

Não se frustre com erros

Quantos erros de português você cometeu na infância, quando estava sendo alfabetizado? Errar é absolutamente normal em qualquer processo de aprendizado. Então, nada de se aborrecer caso seu prato não saia como o esperado.

Para seu aperfeiçoamento, analise cada erro para saber exatamente o que sobrou ou faltou na sua receita. Assim, os erros não se repetirão.

Peça para ser avaliado

Nós não somos os melhores avaliadores dos nossos feitos. Por isso, conte com a opinião de outras pessoas. Você pode oferecer um jantar aos seus amigos e pedir que eles avaliem seu trabalho. Com essa ação você vai descobrir coisas sobre seu prato que nem você sabia.

E você já se arriscou na cozinha? Deu certo? Conte para nós os pratos que já fez ou quer aprender. Deixe seu comentário.

7 dicas para quem quer começar a correr

Agora que cuidar da saúde está em alta, muitas pessoas começaram a buscar uma atividade física para complementar sua rotina de vida saudável. O esporte mais procurado em ambos os sexos, e nas mais variadas faixas etárias, é a corrida, por ser uma atividade física barata e simples de se praticar. Mas para quem quer levar este esporte a sério, alguns cuidados devem ser tomados, para que a prática seja realizada de maneira segura, sem riscos de lesões ou problemas para a saúde. Veja abaixo sete orientações para quem está interessado em começar a correr.

Visite um médico

Este é o primeiro passo que deve ser dado por qualquer pessoa que pretenda iniciar uma atividade física. A visita a um médico é a única maneira de saber se sua saúde está pronta para receber este tipo de estímulo físico, sem maiores riscos. O médico saberá te indicar a intensidade, o tempo e qual o tipo de corrida é ideal para você, para que seu organismo não sofra com esforços cardíacos desnecessários ou com lesões ósseas e musculares.

Coloque sua alimentação em dia

Não existe atividade física bem executada sem uma alimentação equilibrada. Por isto, se você é adepto da alimentação desregrada, sem horários e sem qualidade, e pretende começar a correr, é hora de mudar alguns hábitos. É preciso saber fornecer, ao seu organismo, fontes energéticas de qualidade, como carboidratos integrais, frutas e vegetais, assim como é importante repor adequadamente as prováveis perdas proteicas com o consumo de carnes e laticínios. Coma de três em três horas, em quantidades moderadas e, antes da corrida prefira refeições leves. Se possível, visite um nutricionista para equilibrar sua alimentação. A utilização de suplementos calóricos ou proteicos deve ser realizada com a supervisão de um profissional da área da saúde, de acordo com a intensidade e o tempo de sua corrida, já que a necessidade de reposição varia de indivíduo para indivíduo. A hidratação também deve ser tratada com cuidado, já que a corrida é um exercício que aumenta significativamente a perda hídrica durante sua prática. Mantenha o consumo usual de, pelo menos, dois litros de água diária, e não deixe de se hidratar após o treino.

Compre as vestimentas adequadas

Um bom praticante de atividade física sabe que a roupa utilizada durante os treinos e as provas fazem muita diferença na performance final. Na corrida, a escolha do tênis ideal é responsável por quase 50% de um treino sem problemas. Por este motivo escolha um modelo com o solado ideal para seu tipo de pisada e o amacie bem antes de fazer treinos longos. A roupa também pode fazer diferença, por isto escolha camisas, calças ou shorts de tecidos leves, que permitam transpirar sem problemas e que não bloqueiem os movimentos do corpo.

Comece com treinos leves e curtos

Se você vai começar a correr agora, tenha um pouquinho de paciência com seus resultados. Não adianta querer começar com treinos intensos e longos, para correr uma maratona, ou ser tão rápido quanto o Usain Bolt. A performance vai se desenvolver de acordo com sua frequência de treinos, que devem, inicialmente, ser leves e curtos, para que sua musculatura e preparo físico se acostumem com a nova rotina.  

Monte um treino

Uma maneira controlada de acompanhar seus resultados, e forçar uma evolução de maneira saudável, é correr baseado em informações de uma planilha de treino. Hoje em dia várias equipes de corridas podem ser encontradas nas grandes cidades de todo o país, com profissionais de educação física, fisioterapia e nutrição, que vão lhe ajudar a montar o treino perfeito para o seu perfil, dentro das metas estabelecidas por você. Para quem ainda não tem condição, ou tempo, de se juntar a uma equipe, alguns bons aplicativos desenvolvidos para smartphones e computadores podem te ajudar a montar uma planilha de treino de acordo com suas características.

Escolha locais fáceis e temperaturas amenas

Não comece seus treinos em situações extremas. Evite dias, ou horários, extremamente quentes ou frios, ou ambientes com pista muito irregular, com subidas e descidas intensas. Quanto mais plano for o trajeto, e mais controlada a sua temperatura ambiente, mais fácil será para alcançar seus resultados. Deixe as situações extremas para quando já tiver algum tempo de prática. Se for muito difícil fugir dos ambientes impróprios para correr, sempre existe a opção de utilizar a esteira da academia para não faltar ao treino.

Respeite o seu ritmo

Entenda isto: cada indivíduo evolui de uma maneira específica a um mesmo estímulo físico, mental e alimentar. Por isto não se cobre muito se você está correndo menos, ou se cansando mais, do que um amigo que começou a correr na mesma época que você. É preciso respeitar o próprio ritmo de evolução, para que os resultados sejam fiéis a sua condição física e a sua saúde.

Depois destas dicas, você está pronto para começar a correr? Conte para a gente!

6 lugares que você deve conhecer antes de morrer

Psicólogos já chegaram à conclusão de que o que você faz te deixa mais feliz do que o que você tem. Celulares ficam ultrapassados, produtos de maquiagem são perecíveis e carros saem de moda, mas suas experiências ficam com você. Você deve se lembrar do filme Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças - ele mostra como as memórias fazem parte do que você é! Listamos aqui alguns lugares para você viajar. Chegar até eles pode deixar sua conta bancária mais pobre, mas também tornarão sua experiência de vida mais rica.

New York, New York

Todas as noites, um talk show americano anuncia: “de Nova York, a melhor cidade do mundo…”. É a cidade mais cosmopolita do planeta, sede da ONU e alvo favorito dos extrarrestres e vilões de filmes. Talvez você não veja o Homem-Aranha na sua próxima viagem, mas uma cidade que reúne ao mesmo tempo o Central Park, a Grand Central Station, o MoMa, o Queens e a Broadway é irresistível. Sem falar na oferta de restaurantes e nos programas em terraços ao ar livre.

Cidade do México

Uma das maiores cidades do mundo e a mais antiga capital das Américas ainda guarda heranças do tempo dos astecas. Seu centro histórico e os jardins suspensos de Xochimilco foram declarados Patrimônio da Humanidade pela Unesco. A metrópole tem ainda muitos museus, dois dos 50 melhores restaurantes do mundo de acordo com a revista Restaurant, e, se você animar um dia de jogo, o Azteca, um dos maiores estádios do planeta.  

Machu Picchu

As lendárias ruínas incas no Peru podem já ter sido visitadas por muitos dos seus amigos, mas nada substitui a experiência de realmente chegar lá. O ar é rarefeito, o clima é frio e a viagem envolve um difícil (por vezes enjoativo) percurso de ônibus. Mas ver de perto a cidade deixada intocada pelos conquistadores espanhóis é inesquecível.

A Terra Santa

Berço e local sagrado das três grandes religiões monoteístas, a Terra Santa compreendida por Israel e Palestina têm belas paisagens, arquitetura de várias épocas diferentes e sim, uma vida noturna agitada. Para um programa menos, digamos terreno, em Belém você pode visitar a Igreja da Natividade, local onde uma estrela de prata marca aquele que é, segundo a tradição, o local de nascimento de Jesus.

Berlim

A capital alemã, há quem garanta, é tão apaixonante que viver em qualquer outro lugar torna-se insuportável. É possível beber cerveja em terraços com vista para o horizonte, dançar ao Sol em festas abertas, visitar postos de espionagem abandonados após a Guerra Fria, e cair na balada depois das 2 horas da manhã.

Bali

Esta ilha da Indonésia é a que mais recebe turistas. O lugar tem a maior biodiversidade marinha do mundo, belas praias, grandes quedas d’água e numerosos templos budistas. Para o mergulho ou a praia, baladas ou relaxamento, para curtir a cozinha ou admirar espécies raras, Bali é o melhor lugar do Pacífico.

E então, que lugares você vai adicionar à sua lista de próximos destinos? Conte para a gente.